Mais de 20 medidas protetivas foram concedidas durante a Semana Justiça pela Paz em Casa

18/03/2020

Os atendimentos realizados na Semana Justiça pela Paz em Casa, que terminou na última sexta-feira (13), resultaram na concessão de 22 medidas protetivas, duas determinações de afastamento do lar e expedição de dois mandados de prisão.

Além disso, de terça a sexta-feira (10 a 13/03), 34 mulheres foram atendidas pelas advogadas voluntárias da Comissão da Mulher, da OAB-ES, e 27 mulheres passaram pelo atendimento da equipe multidisciplinar da Prefeitura de Vila Velha e do Instituto Psicologia para Todos.

Os serviços ficaram disponíveis para mulheres de todo o estado no ônibus rosa do Juizado Itinerante da Lei Maria da Penha, que ficou estacionado em frente à Praça Otávio Araújo, próximo ao Fórum da Prainha, em Vila Velha.

Já o curso Mulheres Superando o Medo, que busca promover a autonomia financeira de mulheres vítimas de violência, teve a adesão de 12 mulheres interessadas. Desenvolvido pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comvides) em parceria com o Instituto de Inovação Win, o projeto é financiado pelo Rotary Club e consiste em atendimentos individuais, levantamento de demandas psicológicas e encaminhamento para o Centro de Atendimento à Vida (CAV) e para o Centro de Referência Especializado em Atendimento à Mulher Vítima de Violência em Vila Velha (CRANVIVE).

Segundo a idealizadora do projeto, Isabel Berlink, além de conter um treinamento de combate à violência e prevenção, a base do projeto é um treinamento de educação financeira, para ensinar essa mulher a cuidar e alavancar seus recursos, para que ela possa ter independência financeira.

Nesse sentido, o curso também trabalha o empreendedorismo para que as mulheres participantes possam potencializar seus negócios. O projeto disponibiliza, ainda, um aplicativo de controle financeiro, com acesso direto para o violentômetro e para o disque 180, caso ela precise.

Clique aqui e conheça a história de uma das participantes do Curso Mulheres Superando o Medo.

Fonte: Conselho Nacional de Justiça - CNJ