Justiça Eleitoral do Tocantins atualiza Plano de Logística Sustentável

15/06/2020

A sustentabilidade é um valor institucional do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) e ações que visam a preservação ambiental e a conscientização de magistrados, servidores e colaboradores estão presentes em todos os processos da instituição. Elaborado em 2015, o Plano de Logística Sustentável da Justiça Eleitoral do Tocantins passou por uma revisão e chega à edição 2020 com 11 eixos temáticos que visam a efetivação de uma gestão sustentável na Justiça Eleitoral do Tocantins.

Confira a íntegra do PLS 2020 do TRE-TO

A nova versão do Plano foi aprovada no dia 5 de junho pelo presidente do TRE-TO, desembargador Eurípedes Lamounier. Conforme o magistrado destaca no texto de apresentação do documento, o desenvolvimento sustentável envolve a confluência de três fatores interdependentes: o desenvolvimento econômico, o desenvolvimento social e cultural das populações e a preservação ambiental, todos realizados simultaneamente e em harmonia. “A implantação desse modo de gerir focado no fortalecimento das práticas de sustentabilidade coloca a Justiça Eleitoral do Tocantins como vanguardista na construção de um mundo melhor. Transpomos o discurso para a prática. Resta agora aprimorarmos nossas ações, o que certamente continuará.”

Plano

No documento estão contemplados 11 eixos temáticos, que dizem respeito a gestão sustentável do papel, impressão, copos descartáveis, água mineral envazada em embalagens plásticas, energia, água, combustível, compras e contratações sustentáveis, gestão de resíduos, capacitação e comunicação, e qualidade de vida no ambiente de trabalho. Os temas estão subdivididos em 17 indicadores, os quais serão trabalhados em ação conjunta entre as unidades estratégicas do regional ao longo dos próximos anos.

Para alcançar os resultados esperados a instituição visa capacitar e sensibilizar os servidores e colaboradores, assim como o público externo sobre a importância do consumo consciente, do combate ao desperdício e da eficiente aplicação dos recursos públicos.

Outra política ambiental contemplada no PLS 2020 e já adotada pelo TRE Tocantins trata da adequada gestão dos resíduos sólidos gerados em decorrência das atividades do órgão, com o objetivo de reduzir o impacto negativo no meio ambiente, bem como o investimento em melhorias de infraestrutura e instalações, a fim de aumentar o aproveitamento dos recursos naturais. A contratação de serviços e obras e as aquisições também passam pelo critério da sustentabilidade e a intenção é incluir esses mecanismos de controle de forma constante e progressiva.

Para a coordenadora do Núcleo de Gestão Socioambiental (Nuges), Wagna Cristiane, a revisão do PLS facilitará o monitoramento de sua execução, assim como acompanhar as metas e os indicadores e adequá-los à evolução do desempenho socioambiental do Tribunal. “Com isso atualizaremos as séries históricas de cada tema aprovado no plano e implantaremos novos projetos e ações, catalogando as práticas que dialogam com a sustentabilidade para aprimorar as já existentes, buscando a eficiência no gasto público. Desta forma, vamos contribuir para a redução dos impactos ambientais negativos decorrentes das atividades desempenhadas pelo Tribunal.”

Ranking sustentabilidade

E as ações conjuntas e sistematizadas proporcionaram ao Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) o oitavo melhor Índice de Desenvolvimento Sustentável (IDS) entre os 27 tribunais regionais Eleitorais de todo do país. O resultado foi apontado durante o 4º Balanço Socioambiental do Poder Judiciário, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no dia 4 de junho.

Conforme o balanço, entre os 10 tribunais eleitorais de pequeno porte, o TRE-TO foi o que mais realizou ações de capacitação socioambiental; está 2º lugar no ranking de melhor qualidade de vida no ambiente de trabalho; 3º lugar no índice de menor consumo de copos descartáveis per capita; e 4º lugar no ranking de maior economia no consumo de papel.

Fonte: TRE-TO

Fonte: Conselho Nacional de Justiça - CNJ