Brasil tem que se afastar das divisões que o corrompem?, diz Lamachia na Conferência do CE

06/10/2017

Brasília (DF) e Fortaleza (CE) – O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, proferiu nesta quinta-feira (5) um dos discursos de abertura da VII Conferência Estadual da Advocacia Cearense, que nesta edição tem o tema “Os Desafios da Advocacia em Defesa das Garantias Fundamentais da Democracia”.

Em sua fala, ele ressaltou o papel institucional da entidade. “A OAB tem o Brasil como bandeira institucional e como partido. A nossa ideologia é a Constituição Federal, por isso, como dirigentes desta instituição, temos que zelar por ela. O Brasil precisa se afastar dessas divisões que corrompem o país”, conclamou.

Lamachia também destacou que as conferências estaduais são os eventos mais importantes das gestões nas seccionais da OAB. “Com base no que será discutido aqui, levaremos os temas mais relevantes para a Conferência Nacional da Advocacia, que ocorrerá em novembro", completou.

Ele foi homenageado pelo trabalho à frente do Conselho Federal da Ordem. “Acima de tudo, sinto-me honrado pelo agraciamento que recebi hoje das mãos do presidente Marcelo Mota e da diretoria da OAB-CE. É importante ressaltar que vejo aqui uma instituição sendo extremamente bem conduzida, pois vivemos um momento no qual precisamos de homens e mulheres que tenham serenidade no trato das questões que são relevantes para o dia a dia da advocacia e da sociedade”, agradeceu.

Em seu discurso, o presidente da OAB-CE, Marcelo Mota, ponderou que a Conferência é um evento que tem como foco o aprimoramento profissional da classe advocatícia. “É uma grande honra congregar advogados e advogadas de todo o Estado do Ceará, a fim de que o nosso ensino jurídico fique mais qualificado. Durante os dois dias de conferência, trataremos de temas impactantes para a advocacia e sociedade, como a delação premiada e as reformas políticas. É nesse momento que a advocacia se reúne com grandes juristas locais e nacionais para debater as mudanças que queremos para o nosso país. São discussões como essa - num país que vive uma grande turbulência política, ética e moral - que permite que a advocacia esteja, acima de tudo, em defesa da sociedade e da democracia”, frisou.

Na sequência, proferiram palestras o ex-presidente da OAB-PR, Marlus Arns, que tratou sobre o tema “Criminalidade de Estado – Compliance e Colaboração Premiada”; o conselheiro da OAB-RS, Marcos Eberhardt, sobre “A Reforma do Processo Penal e as Novas Decisões Judiciais"; e o procurador-Geral do Ceará, Juvêncio Viana, sobre "Direito Processual Civil e suas Normas Fundamentais”.

Fonte: OAB