Jovens em situação de vulnerabilidade social são selecionados para o programa Aprendizes em Cena

12/03/2019

Iniciativa pioneira na Bahia, o projeto qualificará 100 jovens para atividades relacionadas ao mundo do Teatro.

A Associação Fábrica Cultural selecionou neste domingo (10) os 100 jovens que participarão da primeira edição do programa Aprendizes em Cena. A inciativa pioneira da Superintendência Regional do Trabalho na Bahia (SRT-BA), realizada em parceria com a Fábrica Cultural, o Ministério Público do Trabalho da Bahia, o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região e o Ministério Público do Estado da Bahia, qualificará profissionalmente jovens em situação de vulnerabilidade social na área de Teatro.

A seleção contou com a participação de mais de 150 candidatos, indicados por diversas entidades que atendem jovens em situação de vulnerabilidade e risco social, como Ministério Público da Bahia, Conselhos Tutelares, Fundação Cidade Mãe, Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.

Para essa primeira edição do programa, apenas 100 jovens serão contemplados. Após o cadastramento, os jovens participaram de dinâmicas e um “aulão” conduzido pelo ator Jackson Costa, o diretor teatral Gordo Neto (que estarão na coordenação do projeto), o ator Fred Alvin e a atriz Andréa Elia.

A previsão é de que as aulas comecem em 25 de março, no turno da manhã, alternativamente nos espaços Mercado Iaô e Casa Preta, que já abrigam diversos projetos voltados para jovens nas áreas de arte e cultura. Serão 800 horas-aula em formato de circuito educacional, para qualificação teórica e, principalmente, prática. Farão parte das aulas o diálogo permanente com diretores, atores, atrizes, produtores, técnicos e gestores culturais da Bahia. 

A superintendente regional do Trabalho da Bahia, Gerta Schultz, participou da seleção dos jovens. Ela ressaltou a satisfação em recebê-los para participarem de um programa que possibilitará o aprendizado de uma profissão e o desenvolvimento de uma visão crítica com fundamento na formação cidadã. “É muito importante que vocês aproveitem essa oportunidade para se fortalecerem como cidadãos, exercendo direitos e deveres. Com este projeto, vocês irão ingressar no mundo do trabalho com o desejo e a necessidade de empreender, de maneira criativa, em um futuro próximo”.

Um dos pontos altos da seleção foi a presença da cantora Margareth Menezes, presidente da Associação Fábrica Cultural, que, em seu depoimento, falou da importância do curso de Teatro como base para sua carreira de sucesso. “Essa iniciativa é brilhante e muito tem a contribuir para o desenvolvimento desses jovens. O teatro desbloqueia a nossa mente em relação à criatividade, nos dá capacidade de concretizar algo a partir de uma ideia própria, o que é fantástico para o desenvolvimento e progresso de qualquer ser humano”.

Representando a SRT-BA também esteve presente o chefe da Seção de Políticas de Emprego, Carlos Melo, que se colocou à disposição dos jovens para esclarecer dúvidas sobre a emissão da carteira de trabalho e cadastrar para atendimento prioritário, nos próximos dias, aqueles que não possuem o documento, pois a carteira é indispensável para o ingresso nos programas de aprendizagem. 

Uma equipe de profissionais formada pelo gerente de proteção especial, psicólogos e assistentes sociais da Fundação Cidade Mãe acompanhou o processo de recepção e seleção dos jovens.

Fonte: Ministério da Economia