CFC é parceiro do MEC no Programa Instituição Amiga do Empreendedor

15/08/2017

Programa Instituição Amiga do Empreendedor conta com parceria do Conselho

Ensinar a sociedade a empreender. Esse é o lema do Programa Instituição Amiga do Empreendedor, lançado, em sua versão piloto, no dia 9 de agosto, pelo Ministério da Educação (MEC). A iniciativa teve adesão inicial de nove instituições de ensino do País e reúne diversos parceiros, entre eles, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC), o Conselho Federal de Administração (CFA), o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A proposta é promover a integração, com as instituições de ensino, dos cerca de 14 milhões de brasileiros que estão desempregados e que tenham aptidão para o empreendedorismo, agregando conhecimentos para uma forma de empreender de maneira correta e eficaz, e evitar que novas empresas sejam fechadas num curto período de tempo devido à falta de orientação, de planejamento e gestão.

“Percebemos que há um campo importante de cooperação a ser desenvolvido entre instituições de ensino e pessoas com atividades empreendedoras e que não têm conhecimentos técnicos aprofundados”, assinalou o secretário de Educação Superior do MEC, Paulo Barone. Ele destacou que os cursos de Administração e Ciências Contábeis são os que registram maior número de estudantes matriculados e que, juntamente com os cursos de Tecnologia e Gestão, reúnem um número expressivo de alunos, professores e instituições que podem contribuir para o programa.

A conselheira do CFC Sandra Batista, que representou o presidente do Conselho, José Martonio Coelho, elogiou a iniciativa e destacou a importância da parceria. “Com a união de saberes e experiências e colocando o projeto em ações práticas, quem ganha é o País”, afirmou.

Após a fase piloto, o programa será lançado, oficialmente, pelo governo no dia 5 de outubro, Dia do Empreendedor, e as instituições que aderirem irão receber um selo que atesta a participação na iniciativa.

“Muitos empreendedores não sabem em que mercado atuam e não têm nenhuma noção de gestão. O programa é uma porta de oportunidade para receber informação na fonte de conhecimento que são as instituições de ensino”, observou Fábio Silva, representante da Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa do MDIC.

Entre os pontos críticos que ameaçam os empreendedores, ele destaca o desconhecimento do processo produtivo, da formulação de preços e das linhas de crédito, descontrole do fluxo de caixa e pouca visão sobre mercado consumidor brasileiro.

O programa é coordenado por um grupo interinstitucional formado por representantes do MEC, do MDIC, do Sebrae, do CFC e CFA, além de membros de instituições de ensino superior.

Pioneirismo

A professora Silvana Carvalho, da Universidade Católica de Salvador (UCSAL), informou que a instituição de ensino decidiu implementar o curso de Empreendedorismo em todos os cursos de graduação. “É um presente poder contar com essa plataforma que irá gerar ainda mais oportunidades para ensino do empreendedorismo no País”, destacou.

“O programa vem ao encontro da nossa visão de formação do aluno como um cidadão empreendedor e com visão global”, afirmou Carlos Ferreira, representante da Universidade Veiga de Almeida, que assim como a UCSAL, faz parte da fase piloto do programa.

Fonte: CFC