Sindifisco-MG ajuíza ação para liberação de dados da Fazenda

03/08/2017

O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual de Minas Gerais (Sindifisco-MG) ajuizou uma ação popular no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para que seja invalidada a negativa da Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF/MG) de fornecer dados sobre a concessão de vantagens de caráter tributário por intermédio de benefícios fiscais e financeiros – isenção, incentivo, redução de alíquota ou de base de cálculo, crédito presumido, dispensa de pagamento, entre outros – ou regimes especiais relacionados à cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em território mineiro.

A ação tem como alvo o Estado de Minas Gerais, por meio do secretário de Estado de Fazenda, José Afonso Bicalho, e pede a publicização dos benefícios em portal oficial do governo de Minas para acesso e consulta irrestritos do público em geral.
 

Uma das empresas beneficiadas por regime especial de tributação em Minas Gerais é a JBS, do empresário Joesley Batista. Na quarta-feira, o Sindifisco-MG também protocolizou requerimento administrativo na SEF/MG, solicitando ao secretário de Fazenda informações oficiais a respeito da concessão de benefícios fiscais à empresa. Desde 2011, segundo levantamento realizado pelo Sindifisco-MG, empresas do grupo da JBS tiveram acesso a 107 incentivos – deste total, 45 permanecem em vigor.

“Como o próprio Joesley Batista afirmou em delação que comprou benefícios fiscais em Minas, esperamos que os órgãos de fiscalização apurem responsabilidades e punam os culpados, e que o Estado seja ressarcido de tudo o que foi retirado dos cofres públicos de forma ilegal e até criminosa”, afirma o presidente do Sindifisco-MG, Lindolfo Fernandes de Castro. A suspeita é que
esses benefícios tenham sido concedidos em troca de recursos destinados ao financiamento de campanhas eleitorais.

“É fundamental que se abra a “caixa-preta” dos benefícios fiscais em Minas”, acrescenta o dirigente sindical. Segundo o orçamento do Estado de 2017, este ano serão concedidos R$ 13,8 bilhões em incentivos. “O que se consome com benefícios é 1,2 vezes maior do que se investe, por exemplo, com educação”, ilustra. Cominformações do Sindifisco-MG.

Fonte: Diário do Comércio - DC