REUNIÃO: Reforma é tema de destaque em Fórum de governadores da região central

10/04/2017

De Cuiabá (MT) - A reforma da Previdência foi o tema de destaque no Fórum de governadores do Brasil Central, que reuniu em

Cuiabá (MT), nesta quinta-feira (7), chefes do executivo dos estados de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Rondônia, Tocantins e Maranhão. Todos eles defenderam com veemência a importância da Reforma da Previdência para promover o equilíbrio das contas públicas nos estados.

O secretário de Previdência, Marcelo Caetano, destacou que o apoio dos estados é fundamental na promoção da reforma e se colocou à disposição para debater e esclarecer os pontos propostos.

O governador anfitrião, Pedro Taques, afirmou que os Estados precisam estar mais presentes na discussão sobre a Reforma. "Neste momento de crise, precisamos estar juntos", disse. Para o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, a reforma da Previdência é um tema prioritário.

Marconi Perillo, governador de Goiás, que também preside o Consórcio Brasil Central, braço de empreendedorismo que reúne os estados do Centro-Oeste do Brasil, também mencionou a urgência na realização da reforma. "Se não tivermos consciência que estamos virando a Grécia, vamos ficar sem capacidade de pagar salários."

Com relação ao desafio de se fazer uma reforma a um ano das eleições, o governador de Rondônia, Confúcio Moura, destacou que, ao corrigir distorções, a aprovação da reforma vai promover voto do eleitor, e não o contrário. Para a vice-governadora do Mato Grosso do Sul, Rose Modesto, vários ajustes são necessários, como redução da máquina pública e a inclusão de mais gestores e menos políticos à frente nos estados. "Toda mudança gera transtornos. Nenhum governador quer demitir e reduzir investimentos. Mas a pauta da Previdência precisa ser responsável", afirmou.

Os governadores concordaram que não se pode adiar mais a reforma da Previdência. "Daqui a dez ou quinze anos, os servidores públicos não receberão mais seus salários, tal o tamanho do problema", disse o governador do Tocantins, Marcelo Miranda. Para o governador Pedro Taques, os servidores públicos deveriam apoiar a promoção de ajustes. "É um problema nacional. Temos que resolver agora", disse o governador do Mato Grosso.

Fonte: MPS