IRPF: Até 2018 é possível abater o pagamento da Previdência Social do empregado doméstico

17/03/2016

O limite de abatimento no imposto devido deste ano é de R$ 1.182,20

No ano passado, houve mudança substantiva na forma de contratação do empregado doméstico. Os percentuais de contribuição e as obrigações dos patrões mudaram, mas a regra que permite o abatimento da contribuição patronal para a Previdência Social do empregado doméstico, no Imposto de Renda, não sofreu alteração. O limite para este ano é de R$ 1.182,20 no imposto.

O abatimento foi instituído como forma de incentivar a formalização da relação trabalhista doméstica, em 1995. Pela regra, cada contribuinte pode abater os valores pagos com a Previdência Social de até um empregado por declaração, do total de imposto devido. A base de cálculo é de um salário mínimo, mesmo que o salário do empregado seja maior. “Até outubro do ano passado o empregador pagava 12% de previdência. Desde outubro a porcentagem passou a ser de 8%, reduzindo, assim, a parcela do incentivo fiscal a ser aproveitada na Declaração Anual de Ajuste do Imposto de Renda Pessoa Física”, afirma o conselheiro do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), especialista em tributação, Osvaldo Cruz.

A dedução só pode ser feita no modelo completo de declaração, na ficha Pagamentos Efetuados, código 50. É necessário informar nome completo do empregado, CPF, o Número de Identificação do Trabalhador (NIT) ou número do Programa de Integração Social (PIS) e o valor pago.

Mesmo quem recebe restituição pode ter imposto devido. Esse valor é calculado a partir da soma de todos os rendimentos tributáveis auferidos ao longo do ano e descontado todos os abatimentos possíveis – como gastos com saúde, educação e dependentes entre outros. “Às vezes a pessoa pensa que porque ela recebe restituição ela não tem imposto devido. Pode ser que tenha. Ao longo do ano o IR é descontado na folha, no caso dos assalariados, ou pago, no caso dos profissionais autônomos. A declaração é o momento em que se avalia se o contribuinte pagou o que devia, se pagou a mais ou a menos. O imposto devido é quanto ele deveria ter pago e é sobre este valor que ocorre o desconto da contribuição patronal à Previdência Social até o limite imposto pela Receita. A restituição ocorre quando o que ele pagou ao longo do ano foi mais do que deveria ter pago”, informa Cruz.

O benefício foi criado em 1995 e a Lei 13.079 de 2015 prorrogou a vigência do abatimento para o exercício de 2019, ano calendário 2018.

Fonte: Conselho Federal de Contabilidade - CFC