Sebrae defende aprovação de melhorias para o Simples

11/03/2016

Projeto que altera faixas de tributação será votado no Senado semana que vem


O presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Guilherme Afif Domingos, defendeu o projeto Crescer Sem Medo (PL 125/15), que institui novos limites de faturamento para micro e pequenas empresas do Simples Nacional, em evento com empresários, no Centro do Rio de Janeiro. O projeto de lei complementar está previsto para entrar na pauta do Senado Federal na próxima semana.

Entre outros pontos, o projeto, que já foi aprovado na Câmara dos Deputados, estabelece novos limites e tabelas para enquadramento no sistema do Simples e a criação das Empresas Simples de Crédito (ESC). A ideia do projeto é criar uma rampa suave de tributação progressiva para que empresários não tenham os negócios inviabilizados ao mudar de faixa.

“Essa medida vai evitar que um empresário precise abrir vários CNPJs”, defendeu Afif, que foi ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa. O presidente do Sebrae também assinou, no evento, um acordo de cooperação técnica com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) para melhorar o acesso dos pequenos negócios à proteção de seus principais ativos intangíveis, como marca, design de embalagens e produtos, programas de computador e patentes de tecnologia, de modo a ampliar a competitividade do setor. “Agora, nós estamos quebrando esse mito, por meio de um processo de simplificação para microempreendedor individual (MEI), microempresa e empresas de pequeno porte”, disse Afif.

O presidente lembrou ainda que as empresas do Simples têm um peso fundamental na economia, mesmo em um período de desaceleração da atividade. “De 2014 para 2015, a queda geral de arrecadação foi de 4,66%, enquanto a arrecadação do Simples subiu 2,92% no mesmo período”, ressaltou Afif.

BEM MAIS SIMPLES

Afif abordou ainda o programa Bem mais Simples Brasil, que tem como diretrizes principais eliminar exigências que ficam obsoletas com a tecnologia, unificar o cadastro e a identificação do cidadão, dar acesso aos serviços públicos em um só lugar. “É necessário tornar simples, o complicado afasta e gera mais empresas na informalidade”, disse.

De acordo com o presidente, o sistema deve agilizar o processo de abertura de empresa para dois dias. A previsão é que o programa venha para o Rio depois das Olimpíadas.  Para o líder da área de impostos da PricewaterhouseCoopers Brasil, Carlos Iacia, o Simples tem beneficiado o empreendedorismo brasileiro. “O Simples é um avanço, já que pagar todos os tributos em guia única evita a inadimplência”, concluiu.

Palestra explica novas exigências da Receita Federal

O Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Rio de Janeiro (CRCRJ) está orientando os profisisonais liberais sobre a nova exigência da Receita Federal na declaração do Imposto de Renda deste ano que obriga médicos, dentistas e advogados autônomos a informar o CPF dos seus pacientes e clientes. Os conselheiros visitarão as entidades de classe para esclarecer as novas regras aos seus profissionais, para sanar dúvidas.
Dentistas, médicos e advogados precisam informar ao Fisco o CPF dos clientes a partir deste ano
Foto: Reprodução

No dia 16, a vice-presidente do CRCRJ, Marcia Tavares, e o vice-presidente Operacional, Samir Nehme, farão palestra na sede do Conselho Regional de Medicina (CREMERJ), a partir das 18h30min. O auditório do CREMERJ fica na Praia de Botafogo, 228, Lojas 103 a 106.

A apresentação é gratuita e aberta ao público, entretanto, apenas credenciados podem participar. A inscrição pode ser feita por meio do email seccat@crm-rj.gov.br. Mais informações no telefone 3184-7130.


Ministro prevê medidas drásticas

O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, disse ontem que a demora na aprovação de reformas econômicas estruturais pode obrigar o governo a ter que adotar, muito em breve, medidas “drásticas” para controlar a deterioração da economia brasileira. A afirmação foi feita pelo ministro durante apresentação em seminário do Tesouro Nacional.

O governo prepara uma proposta de reforma fiscal para encaminhar ao Congresso até o fim de abril, que inclui a reestruturação da Previdência, com revisão das regras de aposentadoria. “Essas propostas em construção têm a característica de serem graduais, promoverem regras de transição. Ainda estamos em uma situação que podemos enfrentar esses problemas de um modo previsível e gradual, sem sobressaltos, sem surpresas”, disse Barbosa. No entanto, “o adiamento do enfrentamento desses problemas vai tornar inevitável a adoção de soluções mais drásticas num futuro muito próximo, o que não é bom para ninguém”, afirmou.

Barbosa informou que o Ministério da Fazenda prepara o anúncio de medidas de estímulo ao crédito para os setores de infraestrutura e agricultura e para as exportações, como foi feito nas últimas semanas em relação crédito imobiliário. Com a adoção dessas medidas, o governo pretende que a economia volte a crescer ainda este ano.
 

Fonte: O Dia