Receita Federal define parâmetros para acompanhamento diferenciado dos maiores contribuintes em 2016

29/12/2015

Anualmente a Receita Federal define, por meio de parâmetros, quais as Pessoas Físicas e Jurídicas que estarão sujeitas ao acompanhamento diferenciado. De acordo com portarias publicadas no DOU de 24 de dezembro de 2015, para o ano de 2016 os parâmetros de definição das Pessoas Jurídicas Diferenciadas são, entre outros:

· receita bruta acima de R$165 milhões; ou

· massa salarial acima de R$40 milhões; ou

· débito declarado em DCTF acima de R$17 milhões; ou

· débito declarado em GFIP acima de R$14 milhões.

Já para as Pessoas Físicas Diferenciadas, os parâmetros são, entre outros:

· rendimentos recebidos acima de R$14 milhões e movimentação financeira acima de R$5,2 milhões; ou

· bens e direitos com valor acima de R$73 milhões e movimentação financeira acima de R$520 mil; ou

· aluguéis recebidos acima de R$2,6 milhões; ou

· imóveis rurais com valor acima de R$82 milhões.

O acompanhamento diferenciado decorre da relevância desse universo de contribuintes, que é responsável por aproximadamente 61% da arrecadação federal. Tais contribuintes terão seu comportamento econômico-tributário, em especial sua arrecadação, permanentemente monitorado por auditores-fiscais especializados.

Nesse monitoramento, a Receita Federal se utiliza de todas as informações disponíveis, internas e externas, e poderá ainda contatar tais contribuintes para obtenção de esclarecimentos adicionais. Para mais informações, consulte:

- Portarias de Definição das Pessoas Físicas e Jurídicas Sujeitas ao Acompanhamento Diferenciado em 2016:

· Portaria RFB nº 1.754, de 24 de dezembro de 2015 (Pessoas Físicas Diferenciadas)

· Portaria RFB nº 1.755, de 24 de dezembro de 2015 (Pessoas Jurídicas Diferenciadas)

- Portaria que regulamenta o Acompanhamento Diferenciado:

· Portaria RFB nº 641, de 11 de maio de 2015

Fonte: Receita Federal do Brasil